Bárbara Castro – Bratislava

  A minha experiência de Erasmus aconteceu no 2ºsemestre do 2ºano, em 2019, e escolhi a Comenius University in Bratislava, Eslováquia para ser a minha “host university”. A razão pela qual escolhi esta universidade em específico foi porque um dos meus principais objetivos era viajar, e a localização de Bratislava na Europa é perfeita para poder explorar o máximo de países possíveis em pouco tempo, além de ser uma cidade com um nível de vida bastante semelhante ao de Portugal.

Toda a gente tem uma razão específica para entrar na aventura que é o Erasmus. Há quem queira melhorar o nível de inglês, há quem prefira a localização perfeita para as melhores festas, outros escolhem determinada universidade pelo seu prestígio. Além de querer viajar muito, eu queria diversificar o meu grupo de amigos, conhecer histórias, culturas novas e completamente distintas da cultura portuguesa. Outro dos meus objetivos era partir para esta aventura completamente sozinha e a depender unicamente de mim, por isso decidi não ir acompanhada, que é algo que não me arrependo de todo, pois é uma maneira de sair da zona de conforto e nunca ter a oportunidade de me acomodar!

Estudar noutro país e noutra universidade é realmente diferente! Não existem os 15 minutos académicos como na UA, todos os professores são bastante rígidos quanto aos horários, sendo que a partir do momento em que entram na sala, fecham a porta e já ninguém pode entrar. Sendo um país com outros costumes, os eslovacos começam o dia bastante cedo, por volta das 6:30/7:00 da manhã e acabam o dia de trabalho por volta das 16:00, por isso as aulas podem começar às 7:30, algo que foi bastante difícil de assimilar, no meu caso, sendo que as aulas não são de 2 horas, mas de 1:30 ou 45 minutos cada.

Apesar do horário, toda a experiência na Comenius University foi bastante positiva. A universidade está extremamente bem preparada para receber os alunos de Erasmus, pois todas as aulas que nos oferecem são realmente em inglês, algo que não acontece na UA. Além disso, os próprios alunos eslovacos têm a possibilidade de fazer parte das turmas de Erasmus e aprender tudo em inglês, sendo efetivamente positivo para ter um contacto mais próximo com outros tipos de ensino e para comunicar com estudantes de outros países.
Estudar na Eslováquia é uma aventura constante. A adaptação ao país é desafiante, pois praticamente ninguém fala inglês e aprender eslovaco é realmente difícil, então a comunicação não é muito fácil! No supermercado os produtos normalmente não têm rótulos em inglês, por isso é um desafio conseguir distinguir os produtos, e pedir ajuda aos funcionários também não é aconselhável, porque a comunicação 90% das vezes baseia-se em gestos, então nenhuma das partes acaba por se entender.

Se tivesse de identificar a maior dificuldade, seria sem dúvida a língua e a comunicação. Ao fim de umas semanas, começamos a saber identificar certas palavras-chave para usar no dia a dia, mas acaba por não ser suficiente, porque os eslovacos não são calorosos de todo, não se esforçam para nos entender nem nos tentam integrar na comunidade deles, então nunca nos sentimos muito bem vindos no país.
Apesar de tudo isto, o Erasmus é a experiência de uma vida. Conheci pessoas de todos os continentes, fiz amigos para a vida, aprendi imenso sobre os países deles, partilhamos pontos de vista e hábitos completamente distintos. Aprendi com a bondade dos japoneses, com o sentido de grupo dos espanhóis, com a alegria contagiante dos italianos, com as receitas dos franceses, com a devoção religiosa dos turcos, com a vida difícil dos egípcios, com a sabedoria dos gregos.

No fim da experiência somos pessoas diferentes, mais completas. Por isso, se me perguntarem se recomendo o Erasmus? Claro que sim!!